Artigos

Os Benefícios do HIIT: Treinos de Alta Intensidade e Curta Duração

Normalmente quando pensamos em queimar calorias, imaginamos logo ficar um longo tempo na esteira ou bicicleta, com a ideia de que quanto mais tempo durar o exercício, maior será o gasto calórico. Entretanto, a ciência hoje nos mostra que não é bem assim, e nas últimas décadas os estímulos intervalados estão ganhando espaço com uma duração menor porém com melhores resultados.

O treinamento intervalado de alta intensidade, ou HIIT na sigla em inglês para “High-Intensity Intermittent Training”, nada mais é do que estímulos em intensidade forte a muito forte com recuperação curta, gerando um déficit na demanda de oxigênio para o nosso sistema aeróbio. Esse déficit de Oxigênio durante o HIIT resulta em um metabolismo acelerado que dura horas mesmo após o término da atividade, que chamamos de EPOC, sigla para "excess post excersise oxygen consumption" em inglês, ou em tradução livre, o consumo excessivo de oxigênio após o exercício. O HIIT pode ser feito em qualquer atividade, seja na esteira correndo, na bike, no elíptico ou até mesmo com movimentos de saltos por exemplo.

Um exemplo claro dessa relação é você imaginar uma caminhada leve na esteira, onde após uma hora de atividade, quando saímos do aparelho, rapidamente estamos recuperados e sem sinal de cansaço, enquanto que quando realizamos os famosos “tiros” de 20 segundos até um minuto de duração em velocidades altas, comuns nas nossas aulas intervaladas de Indoor Cycle e Running Class por exemplo, terminamos ofegantes, precisando de um certo tempo para recuperar a respiração até mesmo antes de beber água ou falar alguma palavra.

Uma pesquisa da Universidade de New South Wales, em Sidnei na Austrália, de 2012, em um periódico voltado para Obesidade (Journal of Obesity) demonstrou em jovens sedentários com sobrepeso que um treinamento de 20 minutos de HIIT, três vezes na semana durante três meses foi capaz de diminuir o percentual de gordura, principalmente a gordura visceral, grande vilã do nosso sistema cardiovascular, mesmo sem nenhuma alteração na rotina alimentar dos testados.

Devemos alertar apenas que o HIIT exige um pouco mais de nosso corpo, e para reduzir o risco de lesões, se você quer otimizar seu tempo de treino, pergunte ao seu professor sobre como conciliar os treinos HIIT na sua programação semanal!

Fonte:
Gabriel Signorelli, coordenador de programa Bodytech.

Voltar