Artigos

Trigo verde, o grão superpoderoso

Ele ajuda a perder peso e previne diversas doenças

De origem síria, o trigo verde é conhecido pelos árabes há mais de 4 mil anos. No momento, ele é o grão da vez em alguns restaurantes brasileiros e virou mania entre gourmets nos Estados Unidos, atraindo adeptos famosos como a apresentadora Oprah Winfrey, que declarou ser fã desse tipo de trigo

img_trigo_verde

Também conhecido como friki (do inglês freekeh), o trigo verde possui propriedades nutricionais que o colocam no grupo dos “supergrãos”. “Superalimentos são aqueles que concentram bastantes nutrientes − podem ser fibras, proteínas, gorduras boas ou antioxidantes − e que por isso atuam na prevenção de doenças. O trigo verde entra na categoria de ‘supergrãos’ devido ao alto número de fibras, até cinco vezes maior do que no arroz integral, e por seu alto teor de proteína”, diz a nutricionista Flávia Morais, coordenadora de nutrição da rede de produtos naturais Mundo Verde.

Alguns o apelidaram também de “a nova quinoa”. A comparação entre os grãos nas tabelas nutricionais não deixa dúvida de que o friki ganha a parada: 100 g de friki possuem 16,5 g de fibras e 12,6 g de proteínas, enquanto a mesma quantidade de quinoa contém 5,1 g de fibras e 14,1 g de proteínas. A lista de benefícios do grão milenar não para por aí. “Ele pode ser relacionado à perda de peso, já que as fibras e proteínas dão saciedade. Por seu baixo indice glicêmico, evita picos de insulina e atua na prevenção e no controle de diabetes”, avalia a nutricionista.

Outra vantagem do trigo verde é a sua versatilidade. “Por ser um cereal, deve ser cozido e consumido em saladas, sopas, como acompanhamento ou no lugar do arroz”, recomenda Flávia. O único porém é que, por conter glúten, ele deve ser evitado pelos celíacos. Já as crianças podem consumir o supergrão sem contraindicações.

Fonte:
trigoesaude.com.br

Voltar